06:43:05 Terça-Feira, 26 Setembro 2017
Nublado

12°C

  • Rotater Example

A mais famosa indústria do Porto é, sem dúvida, a do Vinho do Porto. A criação e exportação de Vinhos do Porto começaram com o Tratado de Methuen em 1703, aliando a Inglaterra e Portugal comercialmente e militarmente. Devido a rivalidades entre os impérios do Norte da Europa, nomeadamente entre Inglaterra e França, os ingleses tornaram-se fiéis a este produto e começaram a procurar cada vez mais este vinho e a importar grandes quantidades.

Vários estudos apontam que há dezenas de milhares de pessoas que actualmente trabalham na produção e na comercialização do Vinho do Porto, entre agricultores, produtores e comerciantes. É um sector dinâmico da economia, concentrando em si milhares de postos de trabalho.

Esta indústria do Vinho do Porto acaba por ter uma relação directa com a do Turismo. Visitantes de todos os países vêm o Porto e um ponto de passagem obrigatória na cidade é a visita às Caves do Vinho do Porto, em Vila Nova de Gaia, ou então subir e descer o Rio Douro em cruzeiros onde podem apreciar as vastas colinas verdejantes que descem até ao rio, cobertas de vinhas e de olivais.

O Porto é também uma cidade muito rica em termos arquitectónicos, com edifícios que demonstram muitas influências, desde o barroco, ao neoclássico e gótico... A maioria dos edifícios mais emblemáticos da cidade são feitos de granito, uma pedra cuja comercialização tem muito impacto no sector económico e industrial do Porto. Há empresas no distrito do Porto que se dedicam à exportação de granito para vários mercados da Europa e não só.

A indústria têxtil também ocupa um local de relevo na economia do Porto, bem como a do couro. Roupas e tecidos em algodão, por exemplo, são produzidos no Porto, seguindo posteriormente muita matéria-prima para fábricas de marcas multinacionais. O mesmo se aplica a sapatos feitos de couro.

Como tem ligação ao mar, a pesca também tem um papel importante na economia local, com vilas piscatórias que se estendem costa acima ou costa abaixo. Alguns dos principais peixes que se apanham aqui são a sardinha e a pescada. O Porto foi e ainda continua a ser uma cidade virada para o comércio, exportando produtos agrícolas como feijão, laranjas, azeitonas e azeite, por exemplo.

Em todo o distrito e na Área Metropolitana do Porto há vilas e cidades prósperas, devido à forte presença de indústrias e do comércio. E é num concelho da Área Metropolitana do Porto que se situa a maior empresa mundial de produtos de cortiça, a Corticeira Amorim, que é também a mais internacional de todas as empresas portuguesas, produzindo rolhas, revestimentos, aglomerados e isolamentos. Contudo, existem muitas outras empresas deste ramo no Porto ou arredores. Outra das áreas com um peso muito grande nas exportações é o calçado. No distrito e na Área Metropolitana do Porto existe uma grande concentração de empresas deste sector. Milhões de sapatos produzidos em São João da Madeira ou em Felgueiras são exportados para todo o mundo e há calçado português que faz parte das preferências de personalidades como Barack e Michelle Obama, Shakira, Paris Hilton, Penélope Cruz ou Letizia Ortiz.

Em São João da Madeira também se encontram as principais empresas produtoras de chapéus. Os feltros e os chapéus que são feitos nesta localidade são muito conhecidos pelo mundo inteiro. Esta é a principal actividade industrial e instalou-se nesta cidade no século XIX (de 1801 a 1900). Aqui há uma possibilidade de turismo diferente, o turismo industrial, já que pode visitar as indústrias tradicionais que lá existem e que ainda funcionam. Também não pode perder o Museu da Chapelaria que lá existe, o único na Península Ibérica e onde são homenageados todos os que se dedicaram ao fabrico de chapéus. Personalidades como Nicolas Cage, Harrison Ford ou Robert De Niro usam chapéus feitos com feltro português. Também casas de alta costura como Hermes e Prada procuram os feltros portugueses.

Paços de Ferreira, que pertence ao distrito do Porto, é considerado a capital do móvel. Aqui se concentram centenas de fábricas de mobiliário que exportam para países tão distantes, como a China. A área do mobiliário representa perto de 80% da indústria que existe neste concelho.